LUINI, SEMPRE UMA ESTRELA

29/06/2015

Luini Nerva

ELA PARA DE QUERER QUALQUER TEMPO DE VOLTA.
  O TEMPO ESTÁ NELA, NÃO ESTÁ EM NADA ALÉM DELA MESMA
(do seu Livro “Raio X”, ainda não publicado).

 

Nascida em 07 de Julho de 1988, filha de Decio Antunes e Viviane Beccon Nerva, aos três anos de idade, LUINI NERVA RIBEIRO foi diagnosticada com “Imunodeficiência Primária”, sendo submetida, desde criança, a periódicas reposições de anticorpos.

 

 

A sua incrível capacidade de vencer a doença e lutar pela vida é tão inexplicável e admirável quanto o seu talento de criar e produzir.

Graduada no curso de Realização Audiovisual da UNISINOS, Luini iniciou sua trajetória profissional ao filmar os ensaios do espetáculo de dança “Primavera”, de Decio Antunes e Maria Waleska Van Helden, e editar um vídeo para o espetáculo “Café Cantante”, da Cia de Flamenco Del Puerto.

A partir de então, participou de diversos projetos da área do audiovisual até, junto com Rogério Rodrigues e Rose França, criar e fundar a Atama Filmes, em 23 de Setembro de 2012, realizando o seu primeiro curta-metragem – “E RESTA DÚVIDA?”.

Luini Nerva, dirigindo em "E Resta Dúvida?"

Na Atama Filmes, entre os seus trabalhos destaca-se a participação na criação da série infantil “Universo Z” – juntamente com Rogério Rodrigues, Rose França e Luciana Druzina. Além de co-criadora, também participou da produção na função de Assistente de Direção.

Equipe Técnica da série "Universo Z"

Por mais que estivesse envolvida em todas as realizações da Atama Fimes, Luini jamais recusou os convites de participar de projetos de outras produtoras, como foi o caso do longa-metragem “O Último Poema”, de Mirela Kruel, produzido pela Besouro Filmes e gravado nos Campos de Cima da Serra, no inverno de 2013, onde desempenhou a função de Assistente de Direção e demostrou um comprometimento inabalável com a realização.

Luini no set de "O Último Poema" (Besouro Filmes)

Em Janeiro de 2014, após uma sequência de seções de quimioterapia, para combater um Linfoma de células do tipo “T” (mesmo do ator Gianecchini), Luini precisou ser submetida a uma cirurgia de emergência com pouquíssima chance de sobrevivência, mas surpreendeu a todos, em um milagre que desconheceu toda a literatura existente da medicina moderna. A partir deste episódio, Luini reforçou sua imagem de “Guerreira” inspirando com sua força, coragem e alegria de viver, cativando uma legião de seguidores por meio das redes sociais, do seu Blog pessoal “Cinema e Saúde” e da sua inspiradora convivência pessoal.

Luini sempre permaneceu conectada ao mundo. Foi bravíssima na luta contra o Linfoma, dividindo sua vida entre o trabalho e hospital, sem nunca deixar de estar presente no Set de filmagem, lugar que tanto amou. Como foi no caso dos últimos projetos da Atama, onde esteve presente fisicamente no set de “Por Onde Anda o Rock and Roll”, de Felipe Iesbick e da minissérie “Kalanga – Cidade das Bicicletas”, de Rogério Rodrigues.

Luini e o ator Artur José Pinto nos bastidores do Set de "Kalanga - Cidade das Bicicletas"

Luini partiu no dia 26 de Junho e embora ela não possa mais estar fisicamente presente nas próximas produções,  a sua “Alma de Aço” – como definiu a amiga Júlia Herzog – estará sempre viva e presente junto de todos que tiverem em si a paixão pela realização audiovisual. Além da grande saudade, Luini deixa o seu livro “Raio-X”, seu segundo curta-metragem “Por Entre as Frestas”, roteiros de projetos que distribuiu entre os amigos e o projeto “Olhar de Coruja”, que representa todo o seu cuidado e carinho com as pessoas.

 

SE SOUBESSEM O QUANTO A VIDA É PASSAGEIRA, CORRERIAM MENOS E ENTENDERIAM O PORQUE O “AGORA” SE CHAMA PRESENTE”.

(Luini Nerva , em “Viagem Extraordinária”, no seu blog CINEMA E SAÚDE).

 

LINK`s:

Blog “Cinema e Saúde”

http://cinemavidaesaude.blogspot.com.br/

 

Making Of  “E Resta Dúvida?”

https://www.youtube.com/watch?v=BTSD0gapWwQ

 

“E Resta Dúvida?” – O filme

https://vimeo.com/114049182

 

Programa “Ser Saudável” sobre “Imunodeficiência Primária”

https://www.youtube.com/watch?v=-_O2DO4jvQc

 

 

1 Comentário

  1. Conheci a Luini ainda bebê, com 3, 4 anos de idade, uma criança doce, carinhosa, muito ligada à mãe Viviane. Fiquei muito triste em saber de sua despedida quando era um talento importantíssimo na Arte do Cinema. Tem coisas que a gente não entende e não se conforma de jeito nenhum, a partida da Luini é uma delas. Mas fica o exemplo, a vida, o trabalho e principalmente o Amor que ela plantou no coração de todos aqueles que conviveram com ela, mesmo no meu caso que a conheci um bebê-de-colo, nem sabia do trabalho dela ! Se tornou uma menina fantástica, alegre, radiante, viva e genuinamente amorosa. Mas quando há Amor nada se perde, pois o amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor. DEUS é Amor ! Ainda que tivéssemos Esperança, Fé e Amor, estes três, o Amor é maior. Se não tivermos Amor, nada teremos. O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece.
    Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal;
    Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade;
    Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.
    O amor nunca falha. A Luini era tudo isso. De DEUS veio para DEUS voltou. Graças à DEUS !

Deixe o seu comentário!